Corpo clínico

Medicina Geral e familiar

Nesta especialidade médica, o indivíduo é observado na sua componente biológica, psicológica e social. A Família, como unidade, é igualmente seu objeto de estudo. Admite-se que a doença de uma pessoa afeta toda a sua família, sendo o inverso igualmente verdade. A dinâmica familiar pode afetar positiva ou negativamente a evolução da doença. Essencialmente esta especialidade desenvolve-se junto da comunidade, oferecendo cuidados próximo daqueles que são os seus utentes. Além de dar resposta à maioria dos problemas de saúde, o Médico de Família deve adotar toda uma série de gestos de Medicina Preventiva assim como compreender a dinâmica familiar que envolve os seus utentes.

  • Dr. Carlos Neves
  • Dr. Mário Sobral
  • Dr. Vítor Beato
  • Dr. Rui Mateus
  • Dr. Madaíl Ratola
  • Dr. Abel Rito
  • Dr. Prazeres da Silva

Outros Médicos prestadores na área de Medicina Geral e familiar:

  • Dr.ª Manuela Castro
  • Dr.ª Ana Cristina Meireles

Ortopedia:

A Ortopedia é a especialidade médica que cuida das doenças e deformidades dos ossos, músculos, ligamentos, articulações, enfim, relacionadas ao aparelho locomotor. A Traumatologia é a especialidade médica que lida com o trauma do aparelho musculoesquelético. Existem diversas doenças ósseas que independem do trauma, como o cancro ósseo, luxações congénitas e deformidades ósseas que necessitam de tratamento médico. As hérnias de disco, causadoras de dores intensas na coluna, podem ser operadas tanto por ortopedistas como por neurocirurgiões, dependendo de sua formação.

  • Dr. Telmo Pato
  • Dr. Vítor Carinha
  • Dr. Alexandre Brandão

Pediatria:

A Pediatria é a especialidade médica dedicada à assistência à criança e ao adolescente, nos seus diversos aspetos, sejam eles preventivos ou curativos. Os aspetos preventivos envolvem ações como aleitamento materno, imunizações (vacinas), prevenção de acidentes, além do acompanhamento e das orientações necessárias a um Crescimento e Desenvolvimento saudáveis. Já os curativos correspondem aos diversos procedimentos e tratamentos das mais diversas doenças exclusivas ou não da criança e adolescente.

  • Dr.ª Celeste Barreto
  • Dr.ª  Adelaide Bicho

Ginecologia e obstetrícia :

A Ginecologia literalmente significa “a ciência da mulher”, mas na medicina é a especialidade que trata de doenças do sistema reprodutor feminino, útero, vagina e ovários. Quase todos ginecologistas atuais são também Obstetras. Além do aconselhamento de Planeamento Familiar, cuidamos da prevenção e tratamento de infertilidade, doenças sexualmente transmissíveis, menopausa e doenças do aparelho genital da mulher.

  • Dr.ª Elvira Rito

Otorrinolaringologia:

A Otorrinolaringologia (ORL) é considerada uma das mais completas especialidades médicas do mundo, com características clínicas e cirúrgicas. O seu campo de atuação envolve as doenças do ouvido, do nariz e seios paranasais, faringe, laringe, cabeça e pescoço.

  • Dr. Romão

Neurologia:

Neurologia é a especialidade médica que trata dos distúrbios estruturais do sistema nervoso. Especificamente, ela lida com o diagnóstico e tratamento de todas as categorias de doenças que envolvem os sistemas nervoso central, periférico e autónomo, incluindo os seus revestimentos, vasos sanguíneos, e todos os tecidos efetores, como os músculos. O correspondente cirúrgico da especialidade é a neurocirurgia. O neurologista, médico que se especializou em neurologia, é treinado para investigar, diagnosticar e tratar distúrbios neurológicos. O neuropediatra trata doenças neurológica em crianças. Neurologistas também podem estar envolvidos na pesquisa clínica, ensaios clínicos, bem como em pesquisa deciências básicas da medicina.

  • Dr. Peter Grebe
  • Dr. José Manuel Santos

Oftalmologia:

A Oftalmologia é uma das especialidades da Medicina. É um ramo da Medicina que investiga e trata as doenças relacionadas com a visão e com os olhos e seus anexos. Especialidade médica que se dedica ao estudo e tratamento das doenças e erros de refração apresentados pelo olho. O médico oftalmologista realiza cirurgias, prescreve tratamentos e correções para os distúrbios de visão. A Oftalmologia, assim como várias outras especialidades da Medicina, tem várias subespecialidades, entre elas a oftalmopediatria, a plástica ocular, doenças orbitárias, doenças das vias lacrimais, o estrabismo, o glaucoma, a cirurgia refrativa, retina, córnea, etc.

  • Dr.ª Raquel Soares

Endocrinologia:

Endocrinologia é uma especialidade médica que estuda as ordens do sistema endócrino e suas secreções específicas, chamadas de secreções fisiológicas. Engloba o estudo e tratamento da Obesidade, Diabetes mellitus, doenças da Tiróide (Nódulos, Bócios, Hipertiroidismo e Hipotiroidismo) patologia da Glândula Hipofisária (Tumores e alterações hormonais – Hiperprolactinemias, Doença de Cushing, Acromegália, Nanismo…), patologia da Supra-renal (Hirsutismos, Insuficiências da Supra-renal, S. de Cushing…) e alterações das Gónadas (ovários e testículos).

  • Dr. Simões Pereira
  • Prof. Dr.ª Paula Freitas

Urologia:

Urologia é uma especialidade cirúrgica da Medicina que trata do trato urinário de homens e mulheres e do sistema reprodutor dos homens. Os médicos que possuem especialização nesta área são os urologistas, sendo treinados para diagnosticar, tratar e acompanhar pacientes com distúrbios urológicos. Os órgãos estudados pelos urologistas incluem os rins, uréteres, bexiga urinária, uretra e os órgãos do sistema reprodutor masculino (testículos, epidídimos, ducto deferente, vesículas seminais, próstata e pénis). As glândulas supra-renais acabaram por entrar na especialidade devido ao aspeto cirúrgico das doenças tumorais das supra-renais. Quando tem indicação cirúrgica de tumor de supra-renal o endocrinologista encaminha para o urologista.

  • Dr. Saúl Almeida
  • Dr. Mário Reis

Cardiologia:

A Cardiologia é a especialidade médica que estuda o funcionamento, a anatomia e as doenças do coração, das artérias, das veias e, em geral, de todos os componentes do sistema cardiovascular.

  • Dr. Narciso Pinheiro
  • Dr. Pedro Cardoso

Dermatologia:

Dermatologia é a especialidade médica que se ocupa do diagnóstico e tratamento clínico cirúrgico das doenças que acometem o maior órgão do corpo humano – a pele, tendo em média 2 metros quadrados de área em um indivíduo adulto. A especialidade engloba ainda as doenças que acometem os anexos cutâneos: cabelos e unhas, bem como as mucosas (ex: boca e genitais).

  • Dr. José Pedro Reis
  • Dr.ª Angelina Mariano

Psiquiatria:

Psiquiatria é uma especialidade da Medicina que lida com a prevenção, atendimento, diagnóstico, tratamento e reabilitação das diferentes formas de sofrimentos mentais, sejam elas de cunho orgânico ou funcional, com manifestações psicológicas severas. São exemplos: a depressão, o transtorno bipolar, a esquizofrenia e os transtornos de ansiedade. A meta principal é o alívio do sofrimento e o bem-estar psíquico. Para isso, é necessária uma avaliação completa do paciente, com perspetivas biológica, psicológica, de ordem cultural, entre outras afins. Uma doença ou problema psíquico pode ser tratado através de medicamentos ou terapêuticas diversas, como a psicoterapia, prática de maior tradição no tratamento. A avaliação psiquiátrica envolve o exame do estado mental e a história clínica.

  • Dr. Octávio Torres
  • Dr.ª Paula Sargaço

Pneumologia:

Pneumologia é o estudo que se ocupa das doenças pulmonares e do trato respiratório. Doenças como a Tuberculose, Fibrose Pulmonar, Cancro do Pulmão, bem como as doenças profissionais são algumas das áreas que são abrangidas. Faz algumas técnicas nomeadamente espirometria, prick testes, entre outros.

  • Prof. Dr. Segorbe Luís

Fisiatria:

  • Dr. Nuno Figueiral

Med. Dentária:

Medicina dentária é a área da saúde humana que estuda e trata o sistema estomatognático – compreende a face, pescoço e cavidade bucal, abrangendo ossos, musculatura mastigatória, articulações, dentes e tecidos. Por saúde oral, entende-se a ausência de doença estomatológica, bem como a correta função, estabilidade e até mesmo estética de todo o sistema estomatognático. É hoje certo e sabido que a saúde oral tem sérias implicações na saúde humana, sendo as duas indissociáveis. Um Médico Dentista é o profissional da saúde responsável por diagnosticar, tratar e prevenir todas as patologias orais e maxilares, bem como todas as estruturas anexas a estes.

  • Dr.ª Sara Couto
  • Dr. Fernando Couto
  • Dr.ª Marta Almeida
  • Dr.ª Rita Cerqueira da Motta

Cirurgia:

  • Dr. Artur Moreira

Neurocirurgia:

  • Dr. Armando Rocha

Reumatologia:

  • Dr.ª Catarina Ambrósio

Pneumologia Pediátrica:

  • Dr.ª Celeste Barreto

Valências não médicas:

Psicologia:

  • Dr.ª Gabriela Vieira
  • Dr.ª Tatiana Louro
  • Dr.ª Maria Manuel Teixeira

Acupuntura:

  • Dr. Amílcar Martins
  • Dr. António Marques

Nutrição:

Nutrição é um processo biológico em que os organismos (animais e vegetais), utilizando alimentos, assimilam nutrientes para a realização de suas funções vitais. A Nutrição faz parte da aprendizagem durante grande parte do período de estudo básico e ainda ao nível do secundário, assim como em muitos cursos universitários, em áreas como medicina, enfermagem, farmácia, biologia, agronomia, zootecnia e nutrição entre outras. No domínio da saúde e medicina (e também veterinária), a nutrição é o estudo das relações entre os alimentos ingeridos e doença ou o bem-estar do homem ou dos animais.

  • Dr.ª Ana Rita Mira
  • Dr.ª Elizabeth Marques

Terapia da fala

A Terapia da Fala é uma especialidade multifacetada, e pode ser útil em qualquer idade, sendo utilizada com objetivos diversos, desde o desenvolvimento do instinto de sucção de um bebé prematuro, à promoção da comunicação numa criança com perturbação do espetro do autismo ou à recuperação da fala de um adulto que sofreu um AVC. Abrange, por isso, áreas muito diversas. O terapeuta da fala intervém ao nível da linguagem, da fala, da voz, da motricidade orofacial, da articulação, da deglutição e das dificuldades de aprendizagem de leitura e da escrita, em crianças em idade escolar, quando estas revelam dificuldades na sua aquisição.

As dificuldades de comunicação nas crianças são comuns, especificamente nas idades pré-escolar e escolar. Podem manifestar-se de diversas formas e ter diversas origens. A Terapia da Fala é a especialidade mais indicada para estas situações e, embora possa ser indicada em qualquer fase do ciclo vital, o ideal é sempre uma deteção precoce das dificuldades, com vista a uma intervenção também precoce nas dificuldades identificadas.

Existe variabilidade individual na aquisição da linguagem mas é importante que a família, os professores, e os pediatras valorizem as idades que são consideradas normativas para uma determinada aquisição linguística. De fato, os atrasos graves no desenvolvimento da linguagem acabam por ter consequências na relação social da criança, prejudicando a sua autoestima, podendo até levar a comportamentos disruptivos como forma de chamar a atenção.

Em termos gerais, as situações em que as crianças poderão beneficiar de uma avaliação em Terapia da Fala são:

Em termos do Desenvolvimento da Linguagem:

– A criança tem 2 anos e ainda não fala, ou diz apenas poucas palavras. Em termos desenvolvimentais, é esperado que uma criança dessa idade possua um repertório com cerca de 20 palavras, e utilize frases com cerca de 4 sílabas;

– A criança parece não compreender o que lhe dizem; não responde ou responde inadequadamente ao que lhe é dito ou pedido;

– A criança revela-se distraída, presta pouca atenção àquilo que a rodeia;

– Comunica essencialmente por gestos.

No que diz respeito à Voz:

– A criança tem uma voz rouca, ou sente-se que faz um esforço para falar;

– Comunica essencialmente através de gritos;

– Existem queixas recorrentes de dores de garganta, ou de garganta seca ou áspera.

Do ponto de vista da Articulação:

– A criança não pronuncia algum som ou letra corretamente, ou faz trocas;

– Evidencia erros na articulação dos sons, e/ou omite sílabas na palavra;

– Fala muito depressa ou atrapalha-se no seu discurso;

– A criança fala “pelo nariz”;

– Usou a chupeta até muito tarde (+ de 5 anos) ou ainda usa.

Em relação à Gaguez:

– A criança tem mais de 4 anos e evidencia sinais inequívocos de gaguez;

– Quando fala, bloqueia ou repete várias vezes os mesmos sons ou palavras;

– A criança isola-se muito;

– Revela vergonha ou inibição em falar.

No que diz respeito às funções de Mastigação e Deglutição:

– A criança mastiga os alimentos de boca aberta;

– Evidencia dificuldades em mastigar ou não consegue mesmo mastigar;

– A criança baba-se frequentemente ou engasga-se com alimentos sólidos e/ou líquidos.

Na aprendizagem da Leitura e da Escrita (especificamente em crianças com mais de 7 anos de idade ou com o 2º ano de escolaridade completo, uma vez que até essa idade ou nível de escolaridade, muitas dessas características são comuns e não configuram qualquer tipo de quadro clínico):

– A criança efetua trocas de sons ou de letras na leitura ou na escrita;

– Não gosta de ler, ou a sua leitura é lenta e pausada;

– Não gosta de escrever;

– A criança dá muitos erros ortográficos na leitura e na escrita.

A consulta de avaliação em Terapia da Fala tem como principal objetivo estabelecer o nível de comunicação da criança, em função da sua idade. O terapeuta da fala recorre a testes percetivos e/ou instrumentais, sendo fundamental a colaboração dos pais, no sentido de complementar a avaliação com informações referentes às rotinas e hábitos da criança.

Nos casos em que se justifica uma intervenção, a frequência e tipo de abordagem terapêutica são determinados pelos elementos da avaliação. Geralmente, consiste em sessões semanais ou bissemanais, individuais (embora se registem casos em que a terapia em grupo de 2 crianças potencia melhores resultados), sendo que a interação entre a criança e o terapeuta da fala ocorre num ambiente essencialmente lúdico e didático.

Habitualmente, no contexto da terapia utilizam-se jogos com objetos, figuras ou animais, incentivando-se a criança a identificá-los verbalmente, no sentido de perceber quais são os sons e letras que mais dificultam a sua comunicação. É também frequente a utilização de um espelho, para a criança se familiarizar com as posições e os movimentos corretos dos lábios e da língua.

A intervenção em Terapia da Fala deve iniciar precocemente. A experiência clínica revela que as crianças que beneficiam de Terapia da Fala em idade pré-escolar manifestam resultados melhores do que as crianças mais velhas. Embora as mais velhas apresentem progressos, o ritmo poderá ser mais lento, uma vez que já possuem alguns hábitos enraizados. A Terapia da Fala potencia resultados mais rápidos e duradouros nos casos em que se alia à terapia em si, a colaboração dos pais bem como a articulação com professores e médicos ou outros profissionais que acompanham a criança (pediatra, otorrino, psicólogo…).

  • Dr.ª Andreia Marques